Recursividade na teoria do campo e habitus

a consolidação da cultura do consumismo

  • Marcelo Augusto Mendes BARBOSA Centro Universitário São Lucas
  • Rafael Ademir Oliveira de ANDRADE Centro Universitário São Lucas

Resumo

Este artigo tem como objetivo propor uma reflexão (compreensão) acerca da atual sociedade do consumo pelas teorias do campo e habitus de Pierre Bourdieu, bem como é analisado metodologicamente pela teoria compreensiva/interpretativa de Max Weber. O objeto deste artigo, visa a discussão sobre o consumismo, seu ponto de vista, agentes consumidores e a forma como as organizações com finalidades lucrativas criam as demandas para o mesmo. Pretende-se mostrar que o consumismo em questão, tem forte relação com a teoria do campo e do habitus, as quais, serão tratadas de maneira mais complexa explicando a condição do consumo como premissa principal da sociedade modernizante. Além dos autores clássicos como Weber e Bourdieu, utilizou-se também autores contemporâneos como: Zygmunt Bauman e Gilles Lipovetsky que explicam o consumismo a partir da efemeridade do consumo e das relações liquidas entre os agentes consumidores e organizações com finalidade lucrativas. A sociedade dos agentes consumidores se consolida em (razão) das organizações com finalidades lucrativas e empenharam-se em criar as sinergias necessárias para o fetichismo do consumo, na condição de ampliar demandas para produtos e serviços que não são necessários as demandas mais prioritárias da sociedade. Conclui-se que o campo de atuação dos agentes consumires é utópico, não existe! As pessoas, apesar de terem escolhas, não conseguem escolher entre consumir o que não precisam e o que verdadeiramente precisam, porque as organizações com finalidades oportunizam escolhas as quais elas julgam ser melhores para seus próprios interesses, fomentam o habitus e com isso consolidam uma cultura global de consumismo.

Publicado
2017-09-08
Como Citar
BARBOSA, Marcelo Augusto Mendes; ANDRADE, Rafael Ademir Oliveira de. Recursividade na teoria do campo e habitus. Revista Diálogos: Economia e Sociedade, [S.l.], v. 1, n. 1, p. 210 - 222, set. 2017. ISSN 2594-4320. Disponível em: <http://dialogos.saolucas.edu.br/index.php/REDIAL/article/view/6>. Acesso em: 18 nov. 2018.